Baiano Robson Conceição faz sua estreia profissional nos EUA

O senso comum diz que grandes campeões são aqueles que conseguem se transformar mediante uma nova realidade e, mesmo assim, seguirem triunfando. É com esse espírito que o baiano Robson Conceição, 28 anos, fará neste sábado, 5, por volta das 22h (horário da Bahia), em Las Vegas, sua estreia no boxe profissional. Seu adversário, pela categoria super-pena (até 59 kg) da WBO (Organização Mundial de Boxe, na sigla em inglês), será Clay Burns, pugilista da casa.

Será a preliminar da luta de retorno do lendário filipino Manny Pacquiao, 37 anos, que, diante do americano Jessie Vargas, sobe ao ringue pela primeira vez desde maio de 2015, quando perdeu por pontos para o tão lendário quanto Floyd Mayweather, dos EUA.

Para estar num evento desse porte, o atual campeão olímpico do peso pena (até 60 kg) teve pouco tempo para se adaptar ao profissional. Sorte que, como grande esportista que é, possuiu talento suficiente para agilizar a adaptação.

A primeira diferença que o público verá é que Robson está ainda mais forte. Seu peso, que variava entre 60 e 62 kg, subiu para 63 kg com ganho de massa muscular. Isso porque, diferentemente do boxe amador, que faz a pesagem minutos antes da luta, o boxe profissional aufere peso dos lutadores na tarde da véspera do evento. Assim, o pugilista usa os dois ou três dias anteriores à pesagem para perder peso essencialmente por desidratação e o recupera ao longo do dia e meio que antecede à luta. Na prática, o lutador profissional sobe ao ringue com cerca de 10% a mais do limite de peso da categoria.

“A preparação de Robson foi feita num período curto [após ganhar o ouro olímpico em agosto, o baiano só conseguiu voltar aos treinos em meados de setembro], por isso subimos pouco o peso dele. Robson vai lutar com pouco mais de 62 kg. O adversário estará pesando entre 64 e 65 kg, mas preferimos dessa forma, pois Robson se sente muito confortável com seu biotipo. Para a próxima luta [prevista para março], aí sim, pensamos em levar o peso dele para 64 kg. Já nesta estreia, o importante é que Robson está se sentindo bem e preparado. Vai facilmente compensar os dois quilos a menos que seu adversário com a agilidade e a técnica que possui”, explica André Pìcolli, seu preparador físico.

Luiz Carlos Dórea, treinador, emenda: “Robson sempre teve uma mão muito pesada para a categoria dele. Então, força não será problema. Ele está pronto e feliz. Está confiante para uma grande vitória”.

 Lutador Baiano posa diante do cartaz da luta de Manny Pacquiao

Contundência

Além de se preparar para encarar lutadores mais fortes, o pugilista teve de adaptar seu jogo ao boxe profissional, cujas lutas são feitas em seis rounds (10 quando vale cinturão) e não em somente três, como no boxe olímpico. De quebra, exigem mais contundência dos golpes ao invés de volume para marcar pontos. Dórea explica que Burns, oponente de Robson, “é um lutador que busca o corpo a corpo, um contato mais próximo com adversário, num combate pesado”. O cartel do americano é de quatro vitórias, dois empates e duas derrotas.

Exibindo confiança, o campeão olímpico comenta: “É bem esse mesmo o tipo de adversário que eu adoro enfrentar (risos). Quando vem para cima, consigo usar minha mobilidade e acertá-lo com contragolpes”.

Dórea completa: “A regra do boxe olímpico, que mudou para os Jogos do Rio de Janeiro, se aproximou do boxe profissional, pois deixou de ser exclusivamente marcação de pontos. Isso facilitou a adaptação de Robson. Ajustamos o jogo dele, mas o fato é que Robson é um lutador completo e sempre teve o lastro de resistência física, a contundência e a capacidade de nocaute que o boxe profissional exige. É difícil fazer previsão, mas estamos seguros de uma grande vitória na estreia. Se você olhar o semblante de Robson, verá que não há tensão pela estreia, mas sim felicidade pelo novo passo na carreira”.

A luta terá transmissão ao vivo pelo canal Sportv.


Três perguntas a Robson Conceição


Terá dificuldade por ser luta de seis rounds?

Nenhuma. Lutei antes em ligas profissionais em Salvador e venci. Com seis rounds, vou ter mais tempo para nocautear meu adversário (risos).

E o processo de perda de peso antes da luta: foi algo tranquilo?

Sim. Um ou dois treinos fortes já me fazem perder o peso necessário. Na véspera da luta, dá para recuperar com hidratação e boa alimentação

Sua esposa, Érika, e filha, Sophia, ficaram em Salvador desta vez. Será difícil não  tê-las com você?

Vou conseguir segurar a saudade. Semana que vem, já estou em Salvador e vou dedicar a vitória a elas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *