Falôôôô: A Opinião de Jota Jota: ESTAMOS CANSADOS DAS PROMESSAS.

A manchete, foi a frase que pude ouvir por diversas vezes, em uma roda de bate papo, com torcedores de Bahia e Vitoria, enquanto rolava uma cerveja gelada, e um tira gosto bem gostoso no Gran Ville das Artes, um condomínio em Lauro de Freitas, como sempre, o comunicador esportivo, não escapa de perguntas que deveriam ser dirigidas aos mentores dos dois clubes, e quando se fala em futebol, a confraternização, vira uma sala de debates, onde profissional de imprensa acaba sendo mediador, e até o universitário, aquele que auxilia nas respostas, mas nem sempre estamos aptos para tal, já que não vivenciamos o interior dos clubes. Me chamou a atenção a frase, porque quando dita pela primeira vez, recebera um coro de apoio, independentemente do clube, ambas as torcidas se dizem cansadas de participarem de competições, apenas como meros coadjuvantes, o discurso inicial de que, 45 pontos será a meta para permanência na série A, isso logo na montagem dos elencos, mostra que os dirigentes, que não possuem aspirações mais audaciosas, tal como brigar na ponta da tabela, e olha que a Copa do Nordeste, não mais está satisfazendo, a declinam como um laboratório, apenas para experiências, as metas são Série A do brasileiro, seguida da Copa do Brasil, lhes afirmei que a imprensa de modo geral, também cobra. Eles não aceitam mais, a montagem de dois times, um para o primeiro trimestre, e outro para o restante da temporada, recriminando a demora na busca de jogadores, como sempre chegando atrasado, e contratando ex-jogadores em atividade, ou promessas que nunca vingaram em lugar algum, e olhe que para torcedores de Bahia e Vitoria concordarem com alguma coisa é INACREDITÁVEL. Tentei amenizar a conversa, mostrando que novas eleições acontecerão agora em dezembro, fizeram foi torcer as caras, e um entre todos falou “vão trocar o padre, mas a missa é a mesma”. Deram inúmeras sugestões, mostraram vários caminhos e soluções, então orientei que tudo aquilo deveria ser entregue para as ouvidorias, riram e responderam, “as ouvidorias, são surdas”, não respondem as indagações, não aceitam opiniões, e até hoje não vimos utilizarem uma só sugestão, calei-me, não tinha a resposta e nem argumentos. Quando a carne foi acabando, e a segunda arrecadação da cerveja já coletada, era a saideira, falamos sobre os nomes que estarão disputando os pleitos, nas duas agremiações, as opiniões se dividiram, sem que se chegasse a um consenso. Aí fora a minha vez de indagar, perguntei quantos eram sócios adimplentes nos dois times, para minha decepção, éramos uns 20, aproximadamente, mas só 6 eram sócios com direito a voto, outros eram sócios mas deixaram de pagar, e o restante, com a ladainha igualzinho a dos dirigentes no início do ano, “se o time estiver bem, e o elenco for bom, vou regularizar minha situação”, mais uma vez tive a convicção de que Bahia e Vitoria, são times medianos para pequenos, foi o que lhes disse, um grande time começa pela força do seu torcedor, para todas as cobranças que ouvi, o inquisidor precisa ter legitimidade para tal, estar associado e adimplente, para ter direito de ajudar a escolher e determinar o melhor para sua agremiação, apesar de terem razão, em quase todos os questionamentos, nada podem fazer a não ser, lamentarem pelos cantos, nas rádios da vida, e redes sociais, ou esperar a carne ficar pronta, e desabafar tomando uma loira bem gelada. #MASELESESTÃOCANSADOS@VAIMELHORAR?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *