Falôôôô: A Opinião de Jota Jota: I N T E R P R E T A C Ã O?

Após a renúncia do Ivã de Almeida, começou a corrida rumo a cadeira vazia, na administração do Esporte Clube Vitoria, em que pese a mesma estar ocupada pelo vice Agenor Gordilho Neto, mas a carta magna do clube, determina eleições diretas, 10 dias após a confirmação da renúncia, o que já está determinado pelo presidente do Conselho Deliberativo, a comissão eleitoral, já publicou as regras, e o prazo para as inscrições, termina às 18 horas do dia 7, sendo necessária a presença do candidato no ato da inscrição, mas assim que as eleições foram confirmadas, um fato vem chamando a atenção dos pretensos candidatos, da torcida, sócios e até mesmo da imprensa, trata-se da eleição para vice presidente, uns revelam que a ação só poderia acontecer se o vice atual, também renunciasse, outros interpretam de forma diferente. Como todas as leis deste país, a do Vitoria não é diferente, INTERPRETATIVA, será mesmo? E porque a transparência e o departamento jurídico, não se apresentaram para que as dúvidas fossem dirimidas, e o caso devidamente esclarecido, para que o sócio torcedor, aquele que vai votar, os torcedores e a imprensa, possam acompanhar o pleito em sua legalidade? É preciso explicar, para que se possa entender, e o que deixa mais dúvidas ainda, fora que o presidente do Conselho Deliberativo, só deixou para efetivar a eleição para vice, após o último jogo do time, será que se fosse para a série “B”, não teríamos o adendo ao ato oficial? Tanto é, que apenas uma chapa, já trazia em suas propagandas eleitoral, o nome do vice presidente, sem mesmo o ato ter sido oficializado, precaução, ou interpretação dos Estatutos, sei lá, mas que tudo fica nebuloso, não tenham dúvidas, tal como a administração geral do clube, assumida em dezembro de 2016, onde tudo se explica, mas nada fora justificado até o momento, e parece que vai continuar, até que uma mão de ferro, possa assumir de verdade a administração do rubro negro. O anjo da guarda do Ivã de Almeida, deve ter tirado licença prêmio em 2017, porque seus correligionários, também responsáveis por todas as ações, saltaram do navio em alto mar, ou se esconderam nos porões, fingindo serem bons marinheiros, é claro que não ririam fazer a minha culpa, mas os Conselhos Fiscal e de Ética, também coniventes com tudo, no balanço do ano, precisam esclarecer os fatos. Mas o processo eleitoral continua, Deus permita, que mais este imbróglio do vice, não vá parar nas barras da Justiça, o que inviabilizará, as ações para montagem do elenco em 2018, e mais uma vez, ter que se improvisar, buscando ex-jogadores em atividade, ou aqueles que ainda atuam apenas pelo nome, 2017 foi modelo das duas ações. Até o dia 7, saberemos quantos candidatos teremos, até o momento, conhecemos três nomes, Ricardo David, Manoel Matos e Raimundo Viana, mas em uma emissora, um conselheiro também lançou seu nome, trata-se de Thiago Ruas, cuja campanha ainda não ganhou seu sobrenome, as ruas, com este montante de candidatos, podendo ainda surgir outros, é quase certa a realização do segundo turno, devido ao pequeno número de sócios aptos a exercerem o direito a voto, aí sim é que veremos, quem os menos votados irão apoiar, será um trabalho duro de aliança a ser feito pelos dois mais bem votados no primeiro turno. Vamos seguindo os capítulos seguintes desta novela, mas a pergunta fica… E você, #comoINTERPRETOUoESTATUTO@?
 
 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *