Justiça mantém preso homem detido por abuso sexual dentro de ônibus em São Paulo

A Justiça de São Paulo decidiu neste domingo (3) manter preso o ajudante-geral Diego Ferreira de Novais, de 27 anos, detido duas vezes em menos de uma semana por cometer abuso sexual dentro de ônibus da capital paulista. Segundo informações do G1, o juiz Rodrigo Marzola Colombini converteu a prisão em flagrente em preventiva. Dessa forma, o suspeito permanece preso até o fim do inquérito policial. Na última terça-feira (29), Diogo foi detido por ejacular em uma passageira de ônibus e foi solto no dia seguinte em audiência de custódia. Neste sábado (2) ele voltou a ser preso depois de esfregar o pênis em uma mulher dentro de um ônibus. Ao todo, o ajudante-geral já foi preso 17 vezes por crimes sexuais. “Inexiste dúvida de que o indiciado constrangeu a vítima a permitir que com ela se praticasse ato libidinoso, já que o indiciado, sem a permissão ou concordância da vítima, e ainda segurando ou apertando a coxa da mesma, nela esfregou seu órgão sexual. Constranger significa forçar, compelir, coagir. […] Mesmo a vítima tentando resistir, foi constrangida, sofrendo inadmissível violência sexual”, escreveu o juiz na decisão deste domingo. O magistrado não atendeu a um pedido para que Diego passasse por exames psiquiátricos, entendendo que o procedimento deve ser feito em um “momento processual oportuno”.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *