MP-BA irá investigar ataque racista contra torcedora do Bahia

A torcedora do Bahia Edna Matos, de 53 anos, ajuizou ação civil pública no Ministério Público da Bahia (MP-BA) para pedir punição aos autores da montagem racista que comparava ela e a filha, ambas mulheres negras, a torcedoras loiras do Grêmio de Porto Alegre.

Segundo a promotora Lívia Vaz, do Grupo de Atuação Especial de Proteção aos Direitos Humanos e Combate à Discriminação do MP-BA, o órgão vai ajuizar uma ação cautelar na Justiça para pedir a quebra do sigilo de dados dos responsáveis pela criação, além da divulgação da imagem.

Difundida pelo aplicativo WhatsApp, a montagem trazia uma foto de Edna com a filha Dandara Matos, 27, na Fonte Nova, sobre uma imagem de torcedoras gaúchas, na Arena do Grêmio, acompanhada da legenda: “Ainda tem gente que acha que time é tudo igual”.

Jornalista formada pela UFBa e diretora do campus do Instituto Federal da Bahia em Santo Antônio de Jesus, Edna somente tomou conhecimento da exposição pública no final de agosto, durante as férias em Portugal.

Na ocasião, havia ido visitar a filha, quando fora avisada por um colega de trabalho sobre uma postagem da prefeitura de Salvador, no Facebook, que condenava o ato racista.

A repercussão nacional serviu para que a família da vítima reunisse conteúdo para juntar à representação no MP-BA. Edna espera que a judicialização do caso leve os clubes a adotarem providências, assim como a CBF. “Não só quem criou, mas quem passou adiante também cometeu crime”, alertou.

Reação

Edna Matos recorda que, ao tomar conhecimento da exposição, a ficha só veio cair no dia seguinte, quando também se posicionou pelo Facebook. “Fiquei triste, com raiva, decepcionada por passar por isso em pleno século XXI, mas, como educadora, tinha que ensinar meus alunos a se defenderem”, disse.

A professora diz que, abertamente, esta foi a primeira vez que sofreu racismo, mas, ao longo da vida, sempre conviveu com situações dissimuladas, a exemplo de olhares de soslaio nas ruas, comentários jocosos e preterimentos para certas funções no ambiente de trabalho.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *